Operação “Carne fraca”: Ministro da agricultura disse que o Brasil já recuperou sua imagem

Dois meses depois de deflagrada a operação “Carne fraca” pela Polícia Federal, o Ministro da agricultura, Blairo Maggi, declarou que a imagem de produtor do país está se recuperando. O caso gerou um grande aumento de fiscalização das carnes brasileiras pelos países consumidores. O Ministro considera vencido o desafio de reaver a confiança do produto brasileiro, porem tem uma agenda dedicada para visitar países para conversar sobre a carne do Brasil.

O Brasil é o líder mundial em exportação de carne bovina e de frango, e o quarto exportador de carne suína. No ano de 2016, as vendas do setor representaram 7,2% do comércio global.

O Ministro da Agricultura declarou que desde as denúncias da PF, o governo vem intensificando a fiscalização nos frigoríficos, prioritariamente nos 21 que foram citados nas investigações. Ele ainda ressaltou que a investigação revelou problemas de saúde pública, e que o governo também fiscalizará as prateleiras dos supermercados.

Entenda a operação “Carne fraca”

Em 17 de março de 2017, uma operação realizada pela PF reportou um escândalo, acusando grandes empresas do ramo da carne de adulterar os seus produtos. A denúncia abrangeu a venda de carne estragada, adulteração da data de validade, realização de maquiagens para esconder a aparência da carne e o uso de produtos químicos indevidos. A publicidade negativa alcançou proporção internacional e afetou o mercado de exportação brasileiro, que ficou muito mal visto.

Mais de mil policiais federais foram destacados para cumprir 309 mandados em seis estados do Brasil e no Distrito Federal. Os mandados solicitados abrangeram a princípio: Vinte e sete prisões preventivas, onze prisões temporária, setenta e sete mandatos de condução coercitiva e novecentos e noventa e quatro de busca e apreensão.

A operação nomeada de “carne fraca”, denunciou possíveis esquemas de corrupção de fiscais agropecuários em vários frigoríficos. Com a repercussão do caso, alguma nações fizeram uma séria de restrições ao importar a carne brasileira.

Amostras de carnes analisadas

O ministério da Agricultura, analisou 302 amostras de carnes dos 21 frigoríficos denunciados na investigação. Foram identificados bactérias, como salmonela, em 8 amostras. Em sua maioria, as irregularidades foram encontradas em hambúrgueres. Essas bactérias podem causar problemas de saúde como vomito e diarreia.

Além disso, foi localizado em 31 amostras, problemas de cunho econômico e técnico, por exemplo, excesso de amido em salsichas, que não chegam a representar risco a saúde.

O secretário executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, afirmou que o Ministério iniciou o procedimento para retirar o selo do Serviço de Inspeção Federal, SIF, de duas unidades de frigorifico, uma no Paraná e outra em Santa Catarina.

Eumar Novacki informou que solicitou as amostras para gerar mais segurança à população.

Ele comunicou a Policia Federal que outras estão sendo coletadas e novas irregularidades podem surgir.