O que diz Luiz Carlos Trabuco Cappi sobre a sucessão na presidência do Bradesco

O atual presidente do Bradesco Luiz Carlos Trabuco Cappi deixará o cargo até março do ano que vem. O banqueiro também é presidente do o conselho administrativo do banco, desde a renúncia de Lázaro Brandão. Quando for substituído da presidência-executiva ocupará apenas essa vaga, uma vez que o banco não permite que ele acumule duas funções.

Lázaro Brandão renunciou ao posto que ocupava a 27 anos para promover a alternância nas lideranças da instituição. Segundo ele, foi uma iniciativa dele convocar o conselho e solicitar a renúncia e seu sucessor, Luiz Carlos Trabuco Cappi tem total condições para ter um bom desempenho.

O conselho é composto por oito vagas com ex-executivos do banco e familiares de Amador Aguiar, fundador do banco, entretanto há uma a menos com a renúncia de Brandão. Agora terá uma vaga a menos, porém há planos para aumentar em mais uma vaga passando para nove o número de membros ativos. Além disso, Carlos Alberto Rodrigues irá ocupar a vice-presidência.

Brandão afirmou também que teve a consciência de que a sucessão era prudente para manter novas disposições para o trabalho. O executivo de 91 anos, seguirá como presidente do conselho das empresas controladas pelo banco, a exemplo da BBD Participações e a Fundação Bradesco. Com mais de 75 anos no banco, Lázaro de Mello Brandão iniciou sua carreira em 1942 como escriturário. Em 1981 chegou à presidência-executiva e em 1990 à presidência do conselho administrativo.

Mais tempo na presidência

De acordo com o estatuto da organização, um presidente não pode ter mais de 65 anos, entretanto Luiz Carlos Trabuco Cappi já está com 66. O motivo foi a compra do HSBC em 2015, a qual fez o conselho modificar a regra estipulando o limite para 67 anos permitir que Trabuco ficasse no cargo por mais tempo. A medida foi tomada em setembro de 2016.

“Estávamos fechando a aquisição do HSBC, a maior que o banco já fez”, ressaltou o executivo, ainda completou dizendo que o conselho não estava preparado para definir o futuro de alguns colaboradores.

A respeito de sua sucessão Luiz Carlos Trabuco Cappi foi enfático: “é uma tradição salutar escolher entre o corpo executivo.” É esperado que um dos nomes seja um dos vice-presidentes do banco. Ele classificou o processo como rotineiro e que o banco deverá respeitar os talentos que a casa tem.

De acordo com o banqueiro seus substituto ainda não foi decidido, contudo poderá ser anunciado antes de março de 2018. A razão é a responsabilidade que o Bradesco tem com o país e por essa razão é importante dar continuidade a uma liderança interna e permanente. O Brasil irá passar por um processo que Trabuco chama de “mobilidade social”, capaz de estimular o consumo e que será aproveitado pelo banco.

Luiz Carlos Trabuco Cappi é presidente-executivo do banco desde 2009. Chegou ao banco em 1969 e passou por várias áreas e níveis hierárquicos. A frente da segunda maior instituição bancária privada do país conduziu a compra do HSBC em 2015 por 5,2 bilhões de dólares.