Novos medicamentos são incorporados à lista de ofertas pelo SUS

O Sistema Único de Saúde através do Governo do Brasil incorporou 17 novos medicamentos gratuitos em 2017, em especial os que tratam pacientes com doenças graves para que eles tenham remédios modernos e eficazes no tratamento. Entre eles está o medicamento que trata câncer metastático de mama, o Trastuzumabe, em primeira linha no tratamento. O sistema público atende atualmente 3,9 mil pacientes que utilizam esse medicamento com diagnóstico inicial feito através de exame de mamografia.

Outra medicação que trata convulsões em pacientes com microcefalia, a substância Levetiracetam, também será ofertada. A compra de uma medicação moderna para tratamento da diabetes tipo 1, foi anunciada pelo Ministério da Saúde ainda em 2017. O Sistema Único de Saúde também passará a ofertar a insulina análoga para crianças. A medicação regula os níveis de glicemia no sangue reduzindo os efeitos negativos da concentração alta da substância.

O tratamento para esclerose múltipla e HIV/Aids tiveram sua medicação inclusa e também a população com um risco maior de adquirir o vírus da imunodeficiência humana terão acesso ao remédio gratuito. As inclusões beneficia os pacientes com doença de Parkinson e Crohn.

A Relação Nacional de Medicamentos Essenciais, a RENAME, atualmente conta com 869 medicamentos em sua lista, voltados para atender a necessidades do Sistema Único de Saúde. Foram investidos mais de R$ 15 bilhões no ano passado para a compra e distribuição do medicamento, além dos repasses para os municípios e os estados.

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS, faz uma avaliação prévia antes de incorporar o medicamento, um pedido que pode ser feito por qualquer cidadão. A Comissão avalia as melhores opções para o tratamento e a envia ao Ministério da Saúde para decidir se ele será ou não incorporado a rede.

A Relação Nacional de Medicamentos Essenciais não pode ter inclusões realizadas pelos municípios, pois eles não têm autonomia para isso.

Os medicamentos incorporados a lista foram: Fumarato de dimetila, Fingolimode, Teriflunomida, Raltegravir, Tenofovir e Emtricitabina, Etravirina, Mesilato de rasagilina e levodopa, Levetiracetam, Laronidase, Associação de sulfato de polimixina B 10.000 UI, sulfato de neomicina 3,5 mg/mL, fluocinolone acetonide 0,25 mg/mL e cloridrato de lidocaína 20 mg/mL, Levetiracetam, Trastuzumab E, Insulinas análogas e Certolizumab