Guarda compartilhada traz benefícios para pais e filhos em divórcio

Resultado de imagem para Guarda compartilhada traz benefícios para pais e filhos em divórcio

As consequências de um término de casamento podem afetar negativamente os filhos, mesmo com a guarda compartilhada. Quando essa custódia física compartilhada é aprovada por um juiz, a grande preocupação é se a criança não sofrerá com a instabilidade causada na rotina e se isso não afetará diretamente a sua saúde mental.

Por essa razão, pesquisadores da Universidade de Estocolmo, localizada na Suécia, investigaram a fundo para descobrir os efeitos da guarda compartilhada nas crianças. Após a análise de questionários realizados com 807 crianças, os pesquisadores concluíram que morar em duas casas proporciona um ganho maior para os filhos e para os pais.

O benefício mais destacado pelos pesquisadores seria algo como uma diminuição nos picos de estresse causados por diversos fatores entre meninos e meninas. Além disso, os participantes mirins também foram considerados como os mais propensos a estarem perto de parentes e amigos, e menos propensos a sofrerem com problemas financeiros e com problemas de saúde do pai ou da mãe.

Esses benefícios só foram considerados em uma comparação da guarda compartilhada com outros tipos de acordos judiciais de um divórcio. Os benefícios não se aplicam ao fato de um casar continuar juntos vivendo uma vida feliz e estável com seus filhos. O estudo também não faz menção sobre o início da separação, que é vista como um momento de transição para os filhos.

Já no caso dos adultos, a guarda compartilhada proporciona um melhor acesso à criança por ambas as partes, o que beneficia aS crianças e os pais. A especialista em desenvolvimento infantil, Deborah Moss, e também neuropsicóloga, disse sobre o assunto: “Essa medida também favorece a divisão das responsabilidades”. Essa divisão de responsabilidade que a neuropsicóloga se refere é em relação a distribuição de papéis, que deve ser feita de maneira justa. Tanto o pai quanto a mãe devem ser responsáveis pela criança e ambas as partes tomarem decisões importantes sobre o futuro do filho.

Contudo, o estudo feito por suecos não se aplica a todos os casos. Nem todos os pais que compartilham a guarda dos filhos vivem em harmonia, e isso afeta totalmente a vida das crianças. Sendo assim, os benefícios só são obtidos se os pais criarem ambientes que sejam saudáveis para o desenvolvimento da criança e necessariamente, mantiverem uma relação de diálogo entre os dois.