Entre todos os integrantes da União Europeia, a Finlândia foi a única que acabou com os problemas de moradias para os sem-teto

Image result for Finlândia foi a única que acabou com os problemas de moradias para os sem-teto

Quase todas as cidades mais importantes da Europa, estão tentando resolver um grande problema que é comum em todas elas, que são os moradores de rua. O número de pessoas que não possuem moradia e nem emprego, cada vez aumenta mais mesmo em países desenvolvidos,  como França,  Alemanha e tantos outros. Mesmo esses países tendo projetos de assistência social bem estruturados, eles acabam enfrentando dificuldades para retirar das ruas essas pessoas.

Mas existe um país europeu, que conseguiu resolver esse problema social de maneira eficaz: a Finlândia.

Uma organização que proporciona o direito a um lar entre os países da União Europeia, a Feantsa, constatou que os países que fazem parte desse conjunto, menos a Finlândia, possuem uma carência no número de moradias para aquelas pessoas, que fazem parte da classe menos favorecida da população.

Um estudo realizado no Reino Unido, mostrou que o número de sem-teto subiu entre os anos de 2014 e 2015, em cerca de 30%.

Na Dinamarca, a Feantsa estima que o número de moradores de rua de uma faixa etária mais jovem, tenha aumentado cerca de 75% desde 2009. Já na Grécia, os números estão ainda mais alarmantes, sendo que na sua capital a cada setenta pessoas, uma está morando nas ruas, segundo a Feantsa.

Mas a Finlândia está conseguindo solucionar esse problema, através de um programa de apoio bastante benevolente. Enquanto alguns países oferecem casas temporárias e impõem condições, a Finlândia proporciona aos moradores de rua, moradias permanentes e sem estabelecer exigências. Além disso, o país oferece assistência social para ajudá-los com problemas como o desemprego e o vício em drogas.

Atualmente a Finlândia concede cerca de mais de dezesseis mil moradias, oferecendo um apartamento e é feito um contrato, onde eles possuem direitos como um inquilino normal. Se forem necessários outros auxílios, eles também recebem, sendo que muitos nem utilizam esse apoio complementar.

Existem diversos motivos que levam uma pessoa a morar nas ruas, como a falta de moradias com preços mais baixos, desemprego, divórcio e muitas outras situações. O quanto mais rápido essa ajuda acontece, melhor para a pessoa que está desabrigada, porque dependendo do tempo que ela fica nessas condições, outros problemas podem surgir.

Segundo um estudo, em 2015 cerca de sete mil pessoas estavam enfrentando problemas devido à necessidade de uma moradia definitiva. Mas a Finlândia está se esforçando até com aquelas pessoas, que estão desabrigadas morando em casas de amigos, para sanar o problema por completo. Atualmente o país não possui pessoas vivendo nas ruas.