Copa Star: Um hospital futurista situado em Copacabana, e voltado para a “classe AA”

Quando os membros da alta sociedade, além das celebridades no geral, instalam-se numa cidade, é previsível que só frequentarão os restaurantes, shoppings e hotéis de luxo. No entanto, alguns ainda desconhecem que esse padrão “cinco estrelas” também já se aplica aos hospitais. E, sem nenhuma dúvida, o exemplo mais recente de um lançamento de alto nível, nesse setor de saúde, foi o do Copa Star. Inaugurado no mês de outubro de 2016, em pleno bairro de Copacabana (Rua Figueiredo Magalhães), Rio de Janeiro, o impressionantemente moderno hospital, que segue o novo conceito da Rede D’Or São Luiz, foi resultado de um investimento total de 400 milhões de reais.

 

Com o foco de ser o mais moderno possível, fica até complicado listar todas as inovações trazidas no Copa Star, tanto de serviços, quanto também de aparelhagem. Isso porque, desses 400 milhões de reais, exatos 25%, ou melhor, 100 milhões de reais foram usados apenas para adquirir equipamentos de ponta, para assim os exames e procedimentos serem todos de última geração. Mas, ousando listar alguns, podemos logo citar as salas híbridas, como um bom exemplo. Para quem não sabe, são salas como essas que possuem a necessária tecnologia para que se possa realizar exames de ressonância e hemodinâmica em um paciente que está em plena cirurgia. Sem contar que, esse mesmo paciente, quando internado, poderá não só controlar a climatização, a iluminação, a cabeceira da cama e as cortinas do quarto, através de um tablet, mas também contatar a enfermeira, por meio de vídeo-chamada.

 

E o luxo do Copa Star não se resume a ter os mais modernos aparelhos, mas a conseguir transformar um hospital em um ambiente agradável e de bom gosto, com direito não só a ambientes que exalam uma exclusiva fragrância, de notas amadeiradas e cítricas, mas também a livros de arte como distração. Além disso, também conta com várias obras do artística plástico japonês Yutaka Toyota, sem contar a presença de um piano no hall. Por sinal, a entrada do hospital mais parece a de um típico hotel de luxo do bairro carioca onde foi construído.

 

Dito tudo isso, percebe-se claramente que o Copa Star foi projetado para ser o mais exclusivo dos exclusivos, por assim dizer. E quem reforça essa impressão é o próprio fundador e presidente do Conselho da Rede D’Or São Luiz, um carioca de nome Jorge Moll, que tem também a profissão de cardiologista. Sem cerimônias, ele disse, antes da inauguração do mesmo, que o hospital abriria “suas portas de vidro” para uma clientela tão VIP, que a intitulou como sendo de “classe AA”.

 

Assim, com seus 21 mil metros quadrados, e com vários boxes de emergência e suítes para internação, sendo parte delas no Centro de Terapia Intensiva (CTI), o Copa Star marca a história do setor de saúde no país, com uma nova concepção da experiência do que seja interna-se num hospital, com direito à luz solar e com registro em tempo real do mar de Copacabana. Mas, como todo homem de negócios, Jorge Moll assume que uma das motivações para iniciar essa futura franquia no Rio de Janeiro, foi justamente evitar que o fizessem primeiro o Albert Einstein ou o Sírio-Libanês, ambos situados em São Paulo. Afinal, como o próprio conclui, não havia ainda algum hospital equivalente aos dois citados, lembrando ele que assim atrairá os pacientes cariocas que antes precisavam pegar a ponte-área em busca de um atendimento superior.