Banco Central divulga ranking de reclamações de bancos de novembro e dezembro de 2016

O Banco Central publicou, nesta segunda-feira (16), o Ranking de Instituições por índice de Reclamações. O estudo é fruto de um levantamento detalhado das reclamações dos usuários de instituições financeiras que possuem mais de 4 milhões de clientes em sua base. A pesquisa do BC é referente aos meses de novembro e dezembro de 2016, e aponta o Bradesco, o Santander e a Caixa Econômica como líderes de queixas de consumidores no período.

Na metodologia utilizada pelo Banco Central, o cálculo do índice é realizado tendo por base o número de reclamações classificadas como procedentes. Esse número é divido pelo total de clientes da instituição e multiplicado por um fator fixo, no caso, 1.000.000.

Líder do ranking na pesquisa, o Bradesco teve 2.617 reclamações de natureza procedente nos meses de novembro e dezembro. Divididas pelo número da base de clientes do banco (95.455.480) e multiplicadas pelo fator fixo, as reclamações do período deixaram a instituição com o índice de 28,30 no ranking.

A segunda posição no ranking de reclamações das instituições financeiras é do Santander, com o índice de 16,37 nos cálculos do estudo. Foram 607 reclamações procedentes registradas no período, de um total de 37.065.392 clientes do banco. A Caixa Econômica aparece na terceira colocação do ranking, com 16,34 no índice. 1.357 reclamações foram classificadas como procedentes nos meses de novembro e dezembro, de uma base de 83.020.990 clientes da instituição.

A sequência da lista de instituições com mais de 4 milhões de usuários é ocupada pelo Banco do Brasil, com um índice de 13,26, e o Itaú, com 12,11 de índice. Atrás deles vêm, sucessivamente, o Banrisul, também com 12,11 de índice, Votorantim, 5,53, Pernambucanas, com um índice de reclamações de 0,46, Midway, 0,32, e o Banco do Nordeste, com 0,00 de índice.

O ranking principal divulgado pelo BC manteve as modificações anteriores na metodologia, mudada em setembro do ano passado, com uma análise bimestral dos dados e alterações na forma organizacional das instituições consideradas. Para a formulação da classificação geral, por exemplo, a pesquisa passou a considerar operações financeiras iguais ou superiores a R$ 200; antes da mudança, as operações consideradas eram iguais ou superiores a R$ 1.000. Outra alteração importante foi a aplicação de um parâmetro mínimo de 4 milhões de clientes para a realização da pesquisa.

As modificações na metodologia de estudo do Banco Central levaram algumas instituições, anteriormente consideradas na mesma lista, para outra classificação. O Banco Pan e o BMG, por exemplo, agora aparecem em um ranking separado, que compara as instituições financeiras que possuem um número de clientes inferior a 4 milhões. Nessa categoria de reclamações dos dois últimos meses de 2016, o líder do ranking foi o Banco Safra, com incríveis 126,60 de índice. Em seguida, aparecem o Pan, com 92,68, e o Intermedium, com 89,48 de índice geral.

No estudo do BC, o assunto com mais reclamações foi “outras irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade de operações e serviços”. Segundo a pesquisa, 1.045 reclamações se enquadraram nessa categoria durante o período.