220 mil hectares da Mata Atlântica foram regenerados nos últimos 30

mata

Em uma mais nova publicação da Fundação SOS Mata Atlântica, juntamente com o INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, foram divulgados dados que mostram a regeneração da Mata Atlântica em 9 estados brasileiros. O dado se refere entre os anos de 1985 e 2015, onde cerca de 220 mil hectares foi regenerado dentre os 17 estados em que a Mata Atlântica cobre. A área total corresponde a 2.197 km de regeneração, o que pode ser comparada à cidade de São Paulo.

O bioma passa por estados do sul, do sudeste, do centro-oeste e do nordeste. Dentre os estados, estão eles: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Alagoas, Sergipe, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Ceará e Pernambuco. Ou seja, a maior parte do nosso país é recoberto pelas árvores, plantas e animais nativos da Mata Atlântica.

Dentre o período analisado, o estado do Paraná é o que teve maiores índices de regeneração, com cerca de 75.612 hectares regenerados, segundo o órgão que cuida do monitoramento do espaço que abrange o ecossistema, o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica. Os dados apontam que Minas Gerais foi o segundo com maior número de área regenerada, cerca de 59.850 hectares, depois veio Santa Catarina, com 29.964 hectares, São Paulo, com 23.021 hectares e o estado Mato Grosso do Sul que teve 19.117 hectares da Mata Atlântica regenerados.

Um dos representantes da Fundação SOS Mata Atlântica disse: “O estudo analisa, principalmente, a regeneração sobre formações florestais que se apresentam em estágio inicial de vegetação nativa, ou áreas utilizadas anteriormente para pastagem e que hoje estão em estágio avançado de regeneração. Tal processo se deve tanto a causas naturais quanto induzidas, por meio do plantio de mudas de árvores nativas”, ou seja, os dados coletados mostram que, áreas que antes foram agredidas pela devastação do ser humano, hoje podem ter recebido influência dos mesmos para poder se regenerar.

Outro dado que contribuiu para a regeneração, é que os desmatamentos que aconteciam na Mata Atlântica foram reduzidos a 83% nesses últimos 30 anos, segundo dados da Fundação SOS Mata Atlântica. Dos 17 estados que compõem a Mata Atlântica, 7 deles mostram dados de desmatamento zero.

Da Fundação SOS Mata Atlântica, a diretora executiva afirmou que ainda falta muito há ser feito pela regeneração e estabilização do ecossistema. “Agora, o desafio é recuperar e restaurar as florestas nativas que perdemos. Embora o levantamento atual não assinale as causas da regeneração, ou seja, se ocorreu de forma natural ou através de iniciativas de restauração florestal, o resultado é um bom indicativo de que estamos no caminho certo”, o que quer dizer que, mesmo que as notícias sejam boas, é preciso continuar.

 

Veja porque é importante preservar a Mata Atlântica.